BUSCAR

Você acha que os jovens devem ser consultados antes da formulação de políticas públicas

    • Sempre 100%
    • Somente nas mais relevantes 0%
    • Às vezes 0%
    • Nunca 0%
Ver resultado parcial
Enviar
  • 11 de dezembro, 2013 - 13h04
    por Cedeca-Emaús

    Cedeca-Emaús completa 30 anos

    Nesta terça-feira, 10 de dezembro, o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca-Emaús) completa 30 anos de fundação. O primeiro centro de defesa do Brasil completa três décadas analisando a situação de crianças e adolescentes na atualidade com o lançamento do Livro Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes nos dias de hoje: entre o ideal e o real, organizado pela advogada e coordenadora do Cedeca Celina Hamoy.

    No dia do aniversário, o Cedeca também recebeu homenagem da OAB-PA.

    História:

    O Cedeca-Emaús foi criado em 1983 para enfrentar a violência sofrida pelos meninos e meninas trabalhadores do mercado do Ver-O-Peso, principal ponto turístico de Belém, capital do Pará. Com esse objetivo se estruturou como o primeiro centro de defesa do Brasil.

    Atualmente, o Cedeca atua em casos de crianças e adolescentes que são vítimas de violência institucional, tráfico de seres humanos, redes de exploração sexual, violência doméstica e proteção especial a crianças e adolescentes ameaçados de morte.

    O Cedeca é também responsável pelo monitoramento da execução das Medidas Socioeducativas no Pará e é uma das organizações responsáveis pela discussão do Sistema Nacional de Medidas Socioeducativas (Sinase).

    Todo o trabalho tem como princípios o direito à participação de crianças e adolescentes no processo de conquista e garantia de seus direitos e dos direitos humanos universais, o respeito à comunidade e a intervêncão pautada nos direitos humanos.

    O centro é membro da Associação Nacional dos Centros de Defesa (Anced), do Conselho do Programa de Proteção à Testemunha (Provita), do ECPAT Brasil, entre outros espaços de articulação da sociedade civil.

    Nossa equipe

    O Cedeca-Emaús possui hoje uma equipe multidisciplinar voltada para atender as mais diversas situações envolvendo a criança, o adolescente e seus familiares que têm seus direitos violados ou querem saber como acessar algum direito. Cada projeto tem sua equipe própria, porém há interação entre os projetos.